Posts Recentes

18 de nov de 2015

Aquele amor que eu não vivi


Hoje parei por um instante e viajei longe. Me lembrei de um daqueles amores que chegam e saem na mesma velocidade. Tumultuam e somem. Ou simplesmente não tem intenção de ficar. O conheci sentado na mesa de um bar, assistindo ao jogo de domingo com uma pá de amigos. Era um clássico, o bar estava cheio, mas apenas uma coisa ali me prendeu a atenção. E não era o meu time na tv, jogando contra o dele. Era ele tranquilo, olhando pro celular de 3 em 3 minutos e respondendo alguém. Eu esperei que não fosse sua namorada. Podia ser uma tia, um primo, ou seu pai na estrada querendo saber como estava o jogo. Mas eu não queria que fosse ela. Acho que eu havia chegado a conclusão de que ele era do tipo que não gostava de se prender ou de ter alguém no seu pé. Principalmente no meio do seu jogo. Ou talvez eu estivesse delirando demais naquela boca que abriu um sorriso lindo quando me viu, naqueles olhos grandes e escuros e naquela barba mal feita que nunca ficara tão bem em alguém como ficou nele, que não queria que isso tudo já fosse de alguém. A verdade é que mesmo sem saber se existia realmente alguém, eu já tinha me preparado para isso. Estava acostumada a chegar atrasada. Eu sempre chegava. Percebi que todos me olhavam parada, de pé, e resolvi sentar. A minha vontade era me sentar com ele, fazê-lo rir com minhas babaquices, contar dos meus problemas e discutir sobre qual time era o melhor. Queria mostrar o meu batom novo e ouvi-lo dizer que combinava com meu cabelo. Queria saber seus gostos, perguntar sobre sua vida e descobrir se era tudo que eu imaginei ser desde a primeira vez que o vi. Bem humorado, inteligente, engraçado. Aquele tipo que faz alguém se sentir bem só de estar junto. Fui interrompida nos meus pensamentos quando começou uma gritaria ao meu redor. Gol. E do time dele. Olhei rapidamente pra ver sua comemoração e ele estava feliz, pedindo pra descer mais uma porque o gol merecia. Resolvi ir ao banheiro, passar uma água no rosto e me livrar daquela paixão instantânea que havia aflorado em mim e que não me levaria a nada. Eu não o conhecia, e também não acreditava em amor a primeira vista. Pedi uma bebida e fui me sentar. Mas no meio do caminho ele atrapalha meus planos. Pergunta meu nome, diz que me viu sozinha e que uma moça como eu não merecia ficar ali, sem nenhuma companhia. Sentou na minha mesa, e ali passamos a tarde conversando. Não tive tempo de reparar tudo o que me chamou a atenção de primeira. O assunto estava mais interessante. Tive a certeza de que estava certa. Ele era exatamente o que eu imaginei que fosse. Na verdade, era melhor. O jogo acabou, seu time foi campeão e o bar já estava praticamente vazio quando ele disse no meu ouvido que tinha adorado me conhecer e que já estava de saída. Há muito tempo eu não me sentia tão bem com alguém, que queria só mais vinte minutinhos ali. Mas me despedi. Cheguei na porta de saída com mil borboletas sobrevoando o meu estômago. Estava me sentindo como uma adolescente apaixonada. E por alguém que eu acabava de conhecer. Estranho, eu sei. Mas eu sou assim mesmo, então nem me surpreendi. Mas eu sabia que não devia me empolgar tanto. E estava certa mais uma vez. Vi de longe ele ao telefone. Esperei pra escutar e então ele disse: “Amor, o jogo acabou. Estou passando pra te buscar.” Era ela, que eu havia suspeitado desde o início... A minha sorte é que meu coração já estava amortecido para a próxima queda.

3 de out de 2015

Quando eu deixei de ser sua

Via http://meninasnoboteco.com.br/

Aprendi com o tempo que tudo depende da importância que se dá. Foi assim que eu percebi que a importância que eu dava pra você era enorme. Sufocante. Naquele domingo eu adoraria ter saído para beber uma cerveja num copinho de plástico. Teria ficado extremamente feliz por ter que deixar de passar um batom vinho para sair, já que para você o vermelho me caía melhor. E teria ficado completamente satisfeita em ter deitado no teu colo para assistir ao seu programa favorito, porque eu havia dado importância suficiente à ele. Não faria diferença estar com o melhor ou não. Eu estava com você e nada seria mais importante que isso. Mas a vida com suas peças surpreendentes me mostrou da pior forma que, nem sempre, damos importância às coisas certas. Enquanto eu encho o meu copinho de plástico de cerveja, estou te vendo conversar com uma garota bonita. Ela está usando um batom vinho. Provavelmente se importou em ter que usar um vermelho. Pude perceber que ela pediu uma taça e que possivelmente vai odiar o seu programa favorito. Você não é o mais importante para ela, e nada que for pra você, vai ser também. Talvez aquele dia que você decidiu que eu não seria mais a sua "melhor coisa", tenha sido um dia ruim para você. Talvez você estivesse pensando demais nas suas importâncias, e descobriu que eu não era mais uma delas. Mas eu não lhe culpo por isso. Hoje eu não dou importância nenhuma pra você, e foi assim que sobrevivi à catástrofe que provocou aqui. Fingindo que não existia amor em mim, até meu coração acreditar que não. Daqui do balcão eu posso ver o seu sorriso, e eu o adorava. Então só lhe peço para que quando for deixá-la em casa, beije-a muitas vezes. Você já perdeu o amor da sua vida, é cedo para perder o amor da sua noite.

28 de jul de 2015

Se por acaso eu me calar, entenda.


É isso, palavras. Ou melhor, a falta delas. Você causa um efeito que afasta de mim todas as linhas de raciocínio. Quando estou com você não existe frase capaz de ser compreendida. Tudo vira nada. Nada vira tudo. O que eu quero esqueço que quero e o que eu não queria passo a querer. No meio dessa bagunça toda, prefiro deixar o meu silêncio falar por mim. Pelo menos não faço toda uma confusão com as minhas próprias conclusões. Vez ou outra até tento atirar algumas, mas elas sempre caem fora de ordem. E você paciente tenta colocá-las no lugar, mas fracassa. E aí eu desisto. Desisto de tentar falar pra você o que só sei sentir. Então, quando quiser ouvir algo de mim não me faça sentir nada que tenha o poder de me calar. Não me peça pra te olhar nos olhos. Não chegue muito perto quando eu disser que é arriscado. Não me encha de perguntas que não sei responder. Não pegue na minha mão nem me ofereça um abraço. Pode ser que eu não queira mais soltar. Não coloque nenhuma música que você gosta nem me solte um sorriso. Não me exija certezas. É que é assim que as palavras fogem do meu vocabulário. Tudo isso me tira o foco. Me abduz. Por isso sempre que quiser que eu lhe dê respostas, não faça nada disso. Se não tudo que vai conseguir é exatamente aquele meu silêncio que tanto te perturba. Vou paralisar, e junto com você me embaralhar toda nessa minha mente desregulada, fazendo com que nós dois nos percamos dentro de mim. Mas quanto a você, fale! O que quiser e o tempo que desejar. As palavras que somem de mim me encantam em você, que sabe usá-las como ninguém. Me fascina te ouvir dizer o que sente, o que pensa e o quanto quer. Minha insegurança não me permite acreditar em tudo, mas ainda assim eu gosto. É uma das coisas que mais me agradam. Entre as minhas dificuldades, elegi a maior delas: Falar frente a frente com você. Porque é realmente um desafio, mas fazer isso quando nada nem ninguém me deixa anestesiada, vagando em universos paralelos, (assim como você faz) já é bem mais fácil. Enquanto eu estiver na minha zona de conforto posso escrever um livro que fale apenas de você. Do outro modo, não consigo deixar escapar nem se quer um parágrafo. Até porque você se tornou o ponto mais fraco que existe em mim. E pra mim não é nada fácil lidar com essa fraqueza, quando perto de você.

23 de jul de 2015

Não se obrigue a esquecer


Esquecer parece uma palavra difícil pra você? Se não, é porque você não sabe a dificuldade que é colocá-la em prática. Mas eu te garanto que depois que é preciso fazer isso, tudo fica bem mais complicado. Por quê? Eu explico! Você passa dia e noite conversando com uma pessoa. Se abre, se solta, se sente livre pra poder fazer e falar o que quiser com ela, sem o receio de que algum dia tudo isso acabe e te deixe um vácuo. Pensa que o que está vivendo naquele momento com ela vai permanecer sempre lindo e em perfeita sintonia. Deixa de lado seus medos, suas decepções. Ganha uma nova rotina, que deixa de ser chata e sem graça, desde que uma só pessoa faça parte do seu dia. Se acostuma a mandar uma mensagem sempre que vê alguma coisa que lembre ela. Conta como foi seu dia, e sabe como foi o dia dela. Ouve uma música qualquer, mas não consegue deixar de pensar nela. Em qualquer mínimo detalhe, você vai lembrar. E por um bom tempo. Pode ser por dois meses, quatro, um ano, ou a vida toda. Enquanto ela significar algo pra você vai ser assim. Mas não adianta querer ter a certeza de que é ela que vai ficar ali pra sempre, porque você não sabe se é. Então pro caso de não ser, esteja preparado! É, se prepare pra conhecer um alguém que pareça te completar inteiramente. Que você jura conhecer como ninguém, mas que no fim percebe que não conhecia quase nada. Talvez você conheça o alguém que fez esta pessoa se tornar com você, mas vai ter que se preparar de qualquer jeito. Porque pode ser que você seja obrigada a esquecer tudo isso. E esquecer assim, é a pior parte. Se forçar a deixar de lado tudo que um dia te fez tão bem. Te fez rir descontroladamente, chorar de raiva, ou só serviu de passatempo mesmo (aliás, o melhor passatempo). Esquecer vai se tornar uma palavra assustadora, que vai te obrigar a empurrar pra longe, o que você queria o mais perto possível. Mas não precisa esquecer por completo os momentos, as conversas, os risos, as declarações disfarçadas em forma de música. Esqueça apenas enquanto for necessário. Enquanto você aprende a lidar com o fim de tudo daquele jeito perfeitinho que costumava ser. Mas, depois, quando essa fase difícil passar, lembre de novo. Não vai te fazer mal nenhum. Aliás, vai lhe arrancar bons risos. Porque apesar de ter acabado, um dia foi bom. Foi muito bom. E o que é bom não tem porque ser abandonado com rancor. Quem sabe um dia vocês não se encontram em uma sorveteria qualquer, e soltem altas gargalhadas ao lembrar das besteiras que diziam? Ou se abracem por saberem que um dia fizeram tão bem um ao outro? No fim das contas, valeu a pena não é mesmo? Quando seus filhos estiverem com a sua idade você vai contar pra eles que algumas pessoas, apesar de não terem permanecido, foram responsáveis por sentimentos e experiências que você nunca teria vivido, se tudo não tivesse acontecido exatamente como aconteceu. Ninguém passa na vida da gente por acaso...                                                                                                                                                

21 de jul de 2015

Deixe entrar


Engraçado, temos uma dificuldade tão grande em esquecer amores passados, problemas presentes, dúvidas futuras... Mas sempre tem alguém pra facilitar tudo. Coisas que parecem não sair da nossa cabeça durante dias somem em questão de segundos, graças à uma simples companhia. Mas não é uma companhia qualquer que vemos todos os dias e recebemos sempre os mesmos consolos. As vezes o que precisamos pra nos livrar do que tem nos entristecido ou machucado, é exatamente isso: novas pessoas! Talvez você duvide, mas justamente aquela pessoa que você jura ter entrado em sua vida por acaso, é a mesma que veio pra fazer a diferença. Pode ser um desconhecido, um inimigo ou até mesmo aquele colega de classe do qual todos criticam e julgam. Você não sabe. Ninguém sabe. Mas sempre que as coisas estiverem ruins ou confusas Deus vai lhe mandar alguém. Alguém que tenha o dom de lhe tirar todas as dores, saudades e angústias. Mesmo que por pouco tempo. Já não é um alívio? Saber que existe quem tire de você todas as coisas que vem pesando e você já não sabe mais como agir, é um dos melhores presentes que alguém pode receber. Essa pessoa vai chegar devagar, com um pouco de receio. Vai se aproximando aos poucos e vai te dar a cada palavra um motivo pra continuar tentando. Você vai começar a gostar cada vez mais da paz que ela te transmite, da tranquilidade com que respira e da forma que vê o mundo. Quando você menos esperar ela já vai estar lá, destrancando o cadeado daquele espaço no seu coração que ainda se encontrava fechado. Ela vai entrar e se aconchegar. Vai parecer até que já era de casa. Então você vai passar a sentir mais e mais necessidade de tê-la por perto. Seus dias vão se tornar mais alegres, mais vivos. Tudo o que parecia não fazer sentido nenhum vai passar a ter, e as dúvidas vão começar a diminuir. Os amores vão se afastando e os problemas vão parecer solucionados. Quem tem a sorte de conhecer esta pessoa, não tem do que reclamar. Pelo menos enquanto ela estiver com você, garanto que tudo vai deixar de ser feio e melancólico. Pelo contrário. As coisas serão lindas e mágicas, por mais simples que pareçam. Quem souber receber a "sua pessoa" e aceitar que ela faça você se sentir como nunca se sentiu antes, tem tudo pra ser pelo menos um pouco mais feliz. Ah, e talvez ela seja o amor da sua vida! Quem sabe? Então esteja atento! Preste atenção nas pessoas que estão ao seu lado e nas que procuram por uma oportunidade de estar também. Talvez valha a pena abrir o coração cegamente.